Arquivo
Posts 2009
03/08/2009
O que não é Rede Social

Neste mundo turbinado de informações com novos conceitos, termos, métodos...às vezes é necessária a visão de experts para ajudar a 'colocar ordem na casa'.

Em redes sociais, tive a sorte de ser convidada pelo amigo Sérgio Storch para o ning http://escoladeredes.ning.com/

Reproduzo, abaixo, trecho do texto de Augusto de Franco que é o idealizador do ning 'Escola de Redes' e escreve textos de excelente qualidade, ideal para quem tem vontade de adentrar esse mundo das redes sociais, redes virtuais, redes de valor...Eta mundo turbinado de informações!

O que fica claro é que há muita confusão ainda sobre o que são redes sociais.

"Sei que o tema é espinhoso. Falar sobre isso, nestes tempos em que as "redes sociais" viraram moda, é meio assim como "remar contra a maré".
Sites de relacionamento e serviços de emissão e troca de mensagens na Internet como, dentre centenas de outros, MySpace, Facebook, Orkut e, agora, Twitter, se autodenominaram (ou foram denominados) ? impropriamente ? ?redes sociais?, registrando milhões de pessoas. É fácil. Em geral não demora nem cinco minutos.
Então muitos desses milhões de usuários de tais serviços acreditaram na conversa e acharam que, pelo fato de terem feito login e senha em um ou em vários desses sites, estão agora ?participando de redes sociais?.
Vá-se lá dizer-lhes que redes sociais não são redes digitais ou virtuais, mas, como o nome está dizendo, são sociais mesmo: um novo padrão de organização, mais distribuído do que centralizado."

Fonte: NÃO NOS FALTA INICIATIVA E SIM, TALVEZ, "ACABATIVA" - Augusto de Franco, publicado em http://escoladeredes.ning.com/profiles/blog/show?id=2384710%3ABlogPost%3A39444&xgs=1

Para entender melhor o que ele chama de novo padrão de organização, mais distribuído segue, abaixo, reprodução de outro texto que já citei neste blog e vale a pena ler na íntegra:

"...vão emergir conexões em rede (ordem bottom up, liberdade, autonomia, multiliderança), confiança e amizade, colaboração e auto-regulação como características de programas horizontalizadores (ou softwares distribuidores) que poderão (então) rodar nos novos arranjos em que as pessoas vão passar a viver e conviver.

Não é necessário mudar os indivíduos. É necessário mudar o padrão de relacionamento entre eles (quer dizer, mudar as pessoas). Mas por onde começar para obter tal resultado?

Articulando uma rede distribuída dentro da organização (uma espécie de embrião da rede na qual a organização vai se tornar). Essas pessoas conectadas em rede terão a liberdade de propor mudanças e construir "espelhos" (em rede) dos mecanismos e processos de governança, gestão e produção que estão organizados hierarquicamente..."

Fonte: NÓS JÁ DESCOBRIMOS A "FÓRMULA", - Augusto de Franco, publicado em http://escoladeredes.ning.com/profiles/blog/show?id=2384710%3ABlogPost%3A37068&xgs=1

http://revie.com.br/page.php?name=blog&id=47&ano=2009&id=47&ano=2009

Envie seu Comentário

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *